Desde:

Desde: 03 de Janeiro de 2010!

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Paris with You


Estavamos com a viajem marcada para celebrar o nosso 7 ano de namoro. Estavamos indo super bem, nossa relação estava ótima, quase nunca tinhamos brigas. Sempre me ligava, me agradava, me fazia feliz e me completava... Eramos unha e carne, eu não vivia sem ele.
Um dia, me lembro bem. Era uma sábado a tarde, o dia estava chuvoso e triste, eu o tinha começado com o pé esquerdo. Mamãe me chamou para ir a casa dela, tinha um assunto sério para conversar comigo, sobre ele.
Eu não sabia o que era, não imaginava que seria o que ela me disse. Achava que você me daria apenas um aviso, como: "Cuidado para não engravidar!" ou "Você precisa se casar logo com esse moço." Mas você não me disse nada disso...
Ao chegar me perguntou sobre ele, disse que iamos bem. Ela me pediu para sentar, me olhou com um olhar de fundo e triste e começou a falar:
" Minha filha, eu e seu pai nos separamos depois de dois anos que você nasceu. Nossa relação também ia bem, porém eu não tinha confiança nele. Não é porque ele te agrada, te chama de meu amor que ele nunca fez nada para te magoar. Precisamos aprender que homens não são totalmente confiáves, devemos ser cautelosas. Não sei se você entendeu o que quero dizer, acho que vou ter que ser mais direta. Sei que vocês está apaixonda, de olhos vendados e não quer ver a verdade, apesar de saber... O Bruno está te traindo."
Meu mundo desabou.Eu não sabia o que fazer, para onde correr. Era como se eu estivesse num abismo.
Fiquei parada olhando para mamãe, sem chorar, sem falar... Fui para casa pensar, sem dizer nem ao menos tchau a ela. Simplesmente me levantei e fui em bora. Não consegui pensar em nada além de suas palavras: "O Bruno está te traindo." Por que ele faria isso? Eu não era boa o suficente para ele?
Eu sabia que ela não estava mentindo, meu coração dizia isso a mim, nem ele aguentava negar. Eu já sabia disso a tempos, porém estava cega. A marca de batom na sua camisa, o cheiro de perfume feminino, as saidas durante a madrugada, seu comportamente diferente quando falavamos sobre traição. Mas o que dava certeza foi quando eu e mamãe o vimos abraçando outra... Na epoca eu consegui me enganar, achando que eram apenas amigos.
Você sempre queria me agradar para me fazer esquecer, para não me fazer lembrar que eu estava sendo traida. Como eu ainda achava que estava tudo otimo? Amor...
Abri a porta de casa, porém não consegui dar mais de um passo. Desabei no choro, sentada no chão, na frenta da nossa casa. Eu não era boa o suficente para você? Não te dava o que queria? Não te satisfazia? Não te... amava? Se é que isso realmente importava para você.
Depois de criar forças para me levantar consegui ir até o quarto. Fitando a comoda na frente da nossa cama, vi as passagens a Paris.
Nossa viajem que havíamos planeja a tanto tempo! Agora já estava tudo pronto, já tinha passagens na mão, mas não tinha meu coração. Ele estava destruido... O que fazer? É claro que não queria jogá-las fora, pelo menos não a minha. Era meu dinheiro e meu orgulho que estaria no lixo.
Até aquele momento eu não estava pensando no que ia falar para você, no que fazer quando te visse. Até que aquele momento...
Ouvi a porta abrir. Era você... O Bruno que eu amava. Você não disse nada ao chegar, entrou no quarto e me viu deitada na cama, olhando para as nossas passagens para a cidade do amor.
Não tentou me explicar nada. Apenas abriu a porta do armário e começou a juntar suas roupas, na grande mala marrom, que eu achava que iria conosco para Paris.
Tinha certeza que mamãe já havia tido o trabalho de explicar a ele que eu já sabia. Já sabia que você me traira.
"Desculpe, eu nunca vou te esquecer. Foi uma grande mulher, um grande amor, um bom passado."
Não disse nada, apenas o dexei só.
As passagens ficaram na minha mão, eu fiquei olhando para elas, pensando em um novo acompanhante.
Eu estava mal, nenhum pouco afim de pensar em viajem naquele momento...

Passaram se alguns meses e você ainda estava na minha cabeça, era o predominava nos meus pensamentos...
Você tinha sumido, ninguém sabia onde se encontrava.

A viajem estava quase para ser cancelada, faltavam duas semanas e se eu não encontrasse alguém para ir comigo abandonaria a ipótese de ir a Paris sozinha.
Mas é claro que não iria perder...
Decidi dar ao Rafa, um amigo da faculdade que também fez colegial comigo. Ele sim seria uma ótima companhia.
Ele aceitou de primeira. Minha mãe disse que foi ótima idéia eu levar ele comigo, mas só porque ela achava que agente poderia ter um caso. Achei meio dificil, mas no fundo nunca achei impossivel. Afinal ele era bonito, charmoso e parecia me paquerar, o único porém é que ele era amigo do Bruno, um passado jamais esquecido...
Nos aproximamos bem depois da minha proposta de viajem, comecei até me interessar por ele. Porém minhas idéias de um possivel romance terminaram quando soube que ele estava namorando. Infelizmente.

Chegou o dia do embarque. Eu estava animada para conhecer Paris, andar de avião e ir com o Rafa...
Paris a cidade do amor, o paraiso dos apaixonados! Mas calma... Eu estava apaixonada para estar ali?
Essa pergunta ficou na minha cabeça por horas, mesmo eu sabendo a resposta.
"Preciso te falar uma coisa..."
"Pode falar Rafa."
"Não sei se você já percebeu, mas eu gosto muito de você. Esperei até aqui para te falar isso, achei que seria o momento ideal. Desculpa, eu to meio nervoso... Eu não gosto de você. Eu te amo! Eu larguei da Larissa, porque quem eu amo é você."
Ele se aproximou de mim, foi delicado. Me deu apenas um beijo no rosto.
Eu retribui com um em sua boca.
Naquele sabado ensolarado eu tinha levantado com o pé direto ;)

Beijos A Todas As Corujinhas!

4 comentários:

  1. Achei lindo o seu blog!! Vou segui-lo, segue o meu tambem: http://ideiassoltashere.blogspot.com/
    =D

    ResponderExcluir
  2. ooi Ju ! amo o seu blog, visito ele todo dia (:
    Se puder segue o meu tbm:
    http://viladarafa.blogspot.com
    beijoos ;*

    ResponderExcluir
  3. Adorei o texto, a história sofrida mais com um final lindo. Parabens.

    xx

    ResponderExcluir
  4. a maioria das vezes quando acaba uma coisa pode vir o dobro del ;D

    ResponderExcluir

Se você gostou, que tal deixar o seu comentário e me deixar com um sorriso no rosto?