Desde:

Desde: 03 de Janeiro de 2010!

domingo, 20 de junho de 2010

A mudança.

Era a primeira vez depois de 11 anos que eu havia pisado na antiga cidadezinha onde eu nasci. Há tempos não tinha notícia de minha mulher, meus filhos e o restante da família. Depois daquele incidente no bar eu fui expulso de casa, e estava sendo excluído de tudo naquela porcaria de cidade que todo mundo se mete na vida dos outros. Fiquei fora por um bom tempo, mas na hora do hora do aperto me ligaram pedindo ajuda, minha mãe estava muito mal e meus irmãos, sem dinheiro para bancar o tratamento, me ligaram pedindo uma ajuda financeira, esse foi o único motivo de eu ter voltado para casa. Não que eu fosse rico, mas eu trabalhava mais do que eles, não era um vagabundo que vivia no bar. Posso dizer que antigamente eu era sim, mas passei 11 anos refletindo, e acho que isso me fez mudar e querer vencer na vida.
Eu sabia desde de o começo que minha mãe era a única pessoa que era contra o meu afastamento, no telefone ela sempre me implorava para voltar para casa, dizendo que estava com saudades e não queria morrer sem dizer adeus.
É claro que eu não voltei, ninguém iria querer olhar para mim depois do que fiz, mas agora era necessário minha volta. Nunca iria deixar minha mãe passando apertado por causa de dinheiro.
Bati na porta, ninguém esperava que eu voltasse, não confiaram na minha palavra quando disse que ajudaria.
Minha mulher me olhou com uma cara assustada, não me reconheceu a principio. Realmente é dificil reconhecer alguém que não se tem notícia durante 11 anos. Eu tinha mudado muito, tanto de comportamento quanto de aparência, cortei o cabelo, usava roupas decentes e agora não tinha aquela barba que deixava minha cara suja.
- Por onde você esteve? Esqueceu que um dia você foi casado?- Ela disse.
Nada respondi, apenas entrei. Passei pela sala, mas nem parei para esperar que todos gritassem comigo me peguntando o que estava fazendo ali.
Fui até o quarto de mamãe e encontrei uma senhorinha de cabelos brancos e pele enrrugada, que me olhava com um ar assustado. Meus olhos se enxeram de lágrimas, por que não voltei antes para poder aproveitar minha vida ao lado de mamãe? Eu deixei que meu orgulho tomasse conta de mim, em vez de me lembrar que a pessoa mais importante para mim estava ao meu lado...
Todos foram até quarto, ver o irmão, o marido ou o pai que estava sumido, no caso, eu.
Começaram as perguntas. Por onde andei? Por que não voltei antes? Realmente eu não deveria estar aqui, que já tinha causado transtorno demais para minha família depois que eu matei meu pai naquela confusão no bar. Me lembro muito bem daquele dia, apesar de que estava totalmente embriagado e depressivo, meu pai estava gritando comigo na frente de todos, me humilhando e quase me batendo, sem pensar, peguei a arma do meu bolso e atirei. Ele não merecia ter morrido, eu deveria morrer. Minha mãe não merecia ter sofrido tanto, meus filhos, minha mulher, meus irmãos Quem deveria estar morrendo era eu.
- Antes que falem alguma coisa a respeito da minha vindo gostari de dizer que mudei muito, e não preciso que acreditem na minha mudança para que eu tenha mudado. Só queria pedir que me perdoassem, mas fiquem tranquilos estou aqui apenas para ajudar a minha mãe, depois vou me embora e nunca mais voltarei. Não vou causar mais desgraças na vida de ningém, muito menos decepções. Podem ter certeza que ocorreu uma mudança em mim, em 11 anos eu aprendi muita coisa...
- Meu filho, nós já o perdoamos faz muito tempo. Sabíamos que estava passando por uma dificuldade muito grande, estava depressivo e bebado naquele dia. Não podíamos esperar que não cometesse atos insanos. Aquilo que fez foi insano até demais, realmente passou dos limites, mas errar é humano. E você já foi perdoado por todos nós... Vou lhe pedir uma coisa, fique conosco para passar esses ultimos dias, meses ou até anos de minha vida. Eu já estou velha e se for embora não saberei o que fazer. Fique, por favor.
- Mãe, como a senhora pode me perdoar? Como todos vocês podem me perdoar? O que fiz foi horrível... Mas se a senhora quer que eu fiquei é claro que ficarei. Eu... Eu amo todos vocês, estava com saudades.
- Meu filho, coração de mãe é assim. Pode demorar para perdoar, mas sempre acaba perdoando. Acho que quem nunca se perdoou foi você mesmo, mas nos o ajudaremos. Muito obrigada por ficar, meu filho. Só isso já vai me fazer viver durante muito tempo...
___________________________________________________

Esse é mais um texto para o concurso Onde Upon a Time. A frase que eu tinha que usar era: - "Mudei muito, e não preciso que acreditem na minha mudança para que eu tenha mudado".
Espero que tenham gostado ;)

Beijos A Todas As Corujinhas!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se você gostou, que tal deixar o seu comentário e me deixar com um sorriso no rosto?